Eleições Legislativas 2011

Maio 26 2011

 

 

 

Terceiro estudo da Eurosondagem para o ExpressoSIC Rádio Renascença mostra leve queda do PSD e subida do PS.

O PSD tem uma ligeira de descida de 0,1% na terceira de dez sondagens diárias que a Eurosondagem está a realizar nesta campanha eleitoral. Ainda assim os sociais-democratas mantém a liderança, com o PS 1,1% atrás.

Mas os socialistas, com uma subida de 0,5% neste terceiro estudo são a força política que mais sobe. 

Com este resultado, apesar da liderança continuar com o partido de Pedro Passos Coelho, a direita pode estar em risco de não conseguir uma maioria absoluta no Parlamento. Com efeito, se somarmos as percentagens dos dois partidos mais à direita (46,4%) e os dos três partidos do outro lado (47,1%), verificamos que pela primeira vez neste estudo contínuo a direita não vai à frente.

 

Ficha técnica

 

Estudo de Opinião efectuado pela Eurosondagem, S.A. no dia 25/05/2011 para o Expresso, SIC e Rádio Renascença, com o objectivo de conhecer a intenção de voto.

O Universo é a população com 18 anos ou mais, residente em Portugal Continental e habitando em lares com telefone da rede fixa.

A amostra foi estratificada por Região (Norte -20,4%; A.M. do Porto - 14,2%; Centro - 29,3%; A.M. de Lisboa - 26,2%; Sul - 9,9%), e aleatória no que concerne ao Sexo e Faixa Etária, de onde resultou Feminino (51,8%), Masculino (48,2%) e 18/30 anos (19,4%), 31/59 anos (48,3%) e 60 anos ou mais (32,3%), num total de 515 entrevistas telefónicas validadas, dado que 233 (31,1%) das 748 tentativas efectuadas não aceitaram colaborar ou responderam não ir votar.

O resultado projectado da intenção de voto, é calculado mediante um exercício meramente matemático, presumindo que os 23,5% respondentes "Ns/Nr" se abstêm e resulta da seguinte média: Dia 23/05 - 30%, dia 24/05 - 30%, dia 25/05 - 40%.

O erro máximo da Amostra é de 4,32 %, para um grau de probabilidade de 95,0%.

Um exemplar deste Estudo de Opinião está depositado na ERC.

fonte:http://aeiou.expresso.pt/esquerda-com-maioria=f651441

publicado por adm às 22:15

Maio 25 2011

 

 

Segunda sondagem do estudo contínuo da Eurosondagem para o ExpressoSIC e Rádio Renascença mostra um crescimento do partido de Passos Coelho.

 

A diferença entre os dois (1,7 pontos percentuais) ainda está dentro da margem de erro (que é de 4,34%), mas esta sondagem mostra um crescimento do PSD, ainda que leve, e uma descida, também suave do PS.

 

No segundo de dez estudos diários da Eurosondagem a publicar até final da campanha (o único dia em que não haverá sondagem é o próximo domingo), os sociais-democratas voltam a ter razões para sorrir, depois do primeiro inquérito, revelado na terça-feira, ter deixado os socialistas mais satisfeitos.

Neste estudo, destaque ainda para a leve descida do partido de Paulo Portas, que ainda assim se mantém acima dos 13% nas intenções de voto. E para a subida do BE (0,1%) e da CDU (0,5%).

 

Maioria de direita em formação


A soma do PSD, que lidera as intenções de voto, e do CDS, faz com que agora pareça mais próxima uma maioria absoluta de direita para governar o país, caso os resultados de 5 de junho confirmem esta "fotografia" da realidade. Os dois partidos somam 46,9%, contra 46,8% dos partidos da esquerda.

 

A sondagem é feito com base em cinco mil entrevistas validadas, 500 por dia. Para o resultado deste segundo dia, é feita uma ponderação, valendo as respostas de cada um dos dois dias 50% para a contabilização do resultado.


Ficha técnica

 

Estudo de Opinião efetuado pela Eurosondagem, S.A. no dia 24/05/2011 para o Expresso, SIC e Rádio Renascença, com o objetivo de conhecer a intenção de voto.

O Universo é a população com 18 anos ou mais, residente em Portugal Continental e habitando em lares com telefone da rede fixa.

A amostra foi estratificada por Região (Norte -19,8%; A.M. do Porto - 13,9%; Centro - 30,4%; A.M. de Lisboa - 26,1%; Sul - 9,8%), e aleatória no que concerne ao Sexo e Faixa Etária, de onde resultou Feminino (51,6%), Masculino (48,4%) e 18/30 anos (18,8%), 31/59 anos (49,2%) e 60 anos ou mais (32,0%), num total de 510 entrevistas telefónicas validadas, dado que 253 (33,1%) das 763 tentativas efetuadas não aceitaram colaborar ou responderam não ir votar.

O resultado projetado da intenção de voto, é calculado mediante um exercício meramente matemático, presumindo que os 24,5% respondentes "Ns/Nr" se abstêm e resulta da seguinte média: Dia 23/05 - 50%, dia 24/05 - 50%.

O erro máximo da Amostra é de 4,34 %, para um grau de probabilidade de 95,0%.

Um exemplar deste Estudo de Opinião está depositado na ERC.

fonte:http://aeiou.expresso.pt/psd-destaca-se-do-ps=f651152


publicado por adm às 22:19

Maio 24 2011

 

 

 

O PSD lidera as intenções de voto a pouco menos de duas semanas das eleições legislativas, mas o PS aparece colado aos sociais-democratas, apenas a 0,5 por cento. Os dois partidos estão dentro do que se chama a margem de erro, não se podendo dizer claramente que um vai ganhar as eleições ou que está claramente destacado para ser o vencedor a 5 de junho.

 

Em terceiro lugar aparece, destacado, o CDS/PP de Paulo Portas, com 13,7 por cento das intenções de voto. Os dois restantes partidos, CDU e Bloco de Esquerda, aparecem com uma votação somada semelhante à dos centristas (13,7 contra 14,2).

Esquerda e direita empatadas 

 

Se agruparmos os resultados verificamos que esquerda e direita permanecem totalmente empatadas: os dois partidos mais à direita somam 46,8% e os três mais à esquerda exatamente o mesmo resultado.

Esta soma é importante para podermos perceber se a maioria dos deputados eleitos para a próxima Assembleia da República estará à esquerda ou à direita do hemiciclo e, dessa forma, percebe que espécie de maioria para governar pode ser alcançada.

Bloco central?

 

A proximidade dos dois maiores partidos permite ainda olhar para os resultados de outra forma: PS e PSD somados perfazem 65,7% por cento das intenções de voto e pode renascer a ideia de re-edição de um bloco central, sobretudo numa altura em que se sabe que as exigências da governação vão ser enormes.

E agora?

 

Depois de semanas com os dois partidos muito colados, e com a indecisão sobre o vencedor das eleições a dominar a agenda, os últimos dias pareciam trazer uma descolagem do PSD. Primeiro, por causa da onda criada em torno da prestação de Pedro Passos Coelho no último debate televisivo, com José Sócrates. E, segundo, devido a outra sondagem publicada no início da semana, pela Intercampus, nas quais os sociais-democratas estavam mais destacados na liderança.

Mas a sondagem da Eurosondagem volta a lançar a dúvida: será que o PS ainda consegue ganhar as eleições? Seja qual for a resposta, ou o que cada leitor pensar sobre o assunto, um dado parece indesmentível: esta sondagem volta a acender a luta na campanha eleitoral. Sobretudo quando, como mostra a sondagem, o número de indecisos ainda é muito elevado: 25,1% dos inquiridos responderam "não sabe" ou "não responde".

 

Ficha técnica

 

O estudo continuo (tracking poll) da Eurosondagem para o Expresso, SIC e Rádio Renascença começa hoje, terça-feira, a ser publicado.

Ao todo serão 10 sondagens, uma por dia, até ao dia 3 de junho, antevéspera das eleições.

O próximo domingo (29 de maio) é o único dia em que não haverá sondagem.

O estudo continuo consiste num total de cinco mil entrevistas validadas. Ou seja, 500 por dia.

No primeiro dia, hoje, a sondagem é feita com base nas primeiras 500 entrevistas. E amanhã, quarta-feira, será feita com mil entrevistas, com uma ponderação de 50% do resultado de cada bloco.

No terceiro dia, a sondagem será feita com uma ponderação de 30% para cada um dos dois primeiros dias, e 40% para o último dia. E assim sucessivamente.

fonte:http://aeiou.expresso.pt/psd-a-frente-mas-com-ps-nos-calcanhares=f650904

publicado por adm às 22:32

Maio 23 2011

Se as eleições legislativas de 5 de Junho se realizassem hoje o PSD venceria com 39,6% dos votos, contra 33,2% do PS, indica uma projecção da sondagem da Intercampus para a TVI e Público. O CDS-PP cai para 12,1%, enquanto a CDU recua para 6,6% e o BE tomba para 5,8%.

Face à sondagem da passada sexta-feira, ainda antes do debate entre José Sócrates e Pedro Passos Coelho, o PSD ganha 3,9 pontos, sendo o único partido a subir. O PS perde 0,9 pontos, enquanto o CDS-PP cai 0,7 pontos, a CDU desce 0,9 pontos e o Bloco de Esquerda recua 1,2 pontos. A votação noutros partidos situa-se em 3%.

Com estes resultados, PSD e CDS-PP obtêm a maioria absoluta, somando 51,7% dos votos.

A projecção foi baseada numa sondagem efectuada entre 18 e 22 de Maio através de 1.021 entrevistas telefónicas. O erro de amostragem, para um intervalo de confiança de 95%, é de mais ou menos 3,06%. 

fonte:http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=12&id_news=512115

publicado por adm às 22:41

Maio 20 2011

O PSD está em vantagem na sondagem CM/Aximage. O partido de Pedro Passos Coelho regista 31,1 por cento nas intenções de voto legislativo, contra 29,5 por cento do PS.

 

O CDS/PP consolida a terceira posição com 12,9 por cento, enquanto CDU e Bloco de Esquerda conseguem 7,3 e 5,2 por cento, respectivamente.

Continua a registar-se uma grande percentagem de indecisos (8,3 por cento dos eleitores), o que significa que este eleitorado decidirá os resultados das legislativas de 5 de Junho.

A abstenção prevista é de 35,8 por cento.

FICHA TÉCNICA

Universo: indivíduos inscritos nos cadernos eleitorais em Portugal com telefone fixo no lar ou possuidor de telemóvel.Amostra: aleatória e estratificada (região, habitat, sexo, idade, escolaridade, actividade e voto legislativo) e representativa do universo e foi extraída de um sub-universo obtido de forma idêntica. A amostra teve 750 entrevistas efectivas: 344 a homens e 406 a mulheres; 189 no interior, 289 no litoral norte e272 no litoral centro sul; 198 em aldeias, 268 em vilas e 284em cidades.                       proporcionalidade pelas variáveis de estratificação é obtida após reequilibragem amostral.Técnica: Entrevista telefónica por C.A.T.I., tendo o trabalho de campo decorrido entre os dias 14 e 18 de Maio de 2011, com uma taxa de resposta de 77,8%. Erro probabilístico: Para o total de uma amostra aleatória simples com 750 entrevistas, o desvio padrão máximo de uma proporção é 0,018 (ou seja, uma “margem de erro” - a 95% - de 3,6%). Responsabilidade do estudo: Aximage Comunicação e Imagem Lda., sob a direcção técnica de Jorge de Sá e de João Queiroz.

 

fonte: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/ultima-hora/sondagem-cmaximage-psd-em-vantagem

 

 

 

 

publicado por adm às 22:51

Maio 13 2011

Projecção Intercampus dá 36,8% a Sócrates e 33,9% a Passos Coelho. Mesmo assim, os dois partidos continuam em empate técnico. CDS regista forte subida

 

O PS ultrapassa o PSD nas intenções de voto. Nesta última sondagem da Intercampus para a TVI e jornal «Público», divulgada esta sexta-feira, os socialistas chegam aos 36,8% e os sociais-democratas ficam-se pelos 33,9%. Mesmo assim, e tendo em conta a margem de erro de 3,05%, os dois partidos continuam em empate técnico.

Nesta última projecção, o CDS-PP regista uma forte subida, chegando aos 13,4%.

Segue-se a CDU com 7,4% e o Bloco de Esquerda com 6%, enquanto que os restantes partidos recebem 2,4% das intenções.

Na última sondagem da Intercampus, o PSD estava ligeiramente à frente dos socialistas com 36,2%, mas mesmo assim ambos os partidos apresentavam um empate técnico.

Nos últimos quatro dias, inverteram-se posições e o PS tem agora 2,9% de vantagem sobre o PSD. Na segunda-feira, segunda-feira registava um avanço de 1,1% sobre o PS.

A caminho da decisão do dia 5 de Junho, a TVI lança uma série de sondagens que permitem medir o pulso eleitoral do país, à segunda e sexta-feira.

Nesta terceira sondagem, a projecção de resultados eleitorais atribui 33,9% das intenções de voto ao PSD; 36,8% a PS, 13,4% ao CDS; 7,4% à CDU; 6.0% ao Bloco de Esquerda que continua assim em queda acentuada. Outros partidos recebem 2,4% das intenções. 

Isto significa que juntos, PS e CDS conseguem 50,2% dos votos. Mas Paulo Portas já disse, no debate na TVI, que não iria para o Governo com Sócrates.

Na comparação com os dados obtidos na sexta-feira, o PSD desce 2,3%; o PS sobe 1,7%; o CDS sobe 2,5%, uma grande subida num curto espaço de tempo; a CDU perde mais três décimas. O Bloco de Esquerda desce 0,4%. Também diminui o voto nos outros partidos em 1,2%.

Ficha técnica sondagem TVI/Público/Intercampus

Esta projecção foi baseada numa Sondagem da INTERCAMPUS, efectuada entre 7 e 12 de Maio, com o objectivo de conhecer a intenção de voto dos portugueses, entre outros temas.

Universo constituído pela população com mais de 18 anos, residente em Portugal Continental. Recolha através de entrevista telefónica num total de 1029 entrevistas: 52,3% dos entrevistados do sexo Feminino, 47,7% do sexo Masculino, com a distribuição etária e por regiões presente no quadro: 31,7% dos entrevistados com idades entre os 18 e os 34 anos, 34,3% entre os 35 e os 54 anos e 34% dos indivíduos com 55 e mais anos. 

Por regiões 18,4% dos entrevistados residem no Norte Litoral, 13,6% no Grande Porto, 19,6% no Interior, 17,9% no Centro Litoral, 20,6% na Grande Lisboa e 9,9% no Sul. 

O erro de amostragem, para um intervalo de confiança de 95%, é de mais ou menos 3,05%. A taxa de resposta foi de 47,9%. Nesta sondagem 21,2% dos entrevistados não revelaram a sua opção e 22,4% não indicou um partido ou indicou que não votaria. Que quando aplicável, é feita uma distribuição proporcional de registo de não respondentes, sem opinião e abstenção, passando a usar-se a expressão «Projecção».

fonte:http://www.tvi24.iol.pt/politica/legislativas-eleicoes-sondagem-psd-tvi-ps/1253180-4072.html

publicado por adm às 23:15

Maio 12 2011

Segundo a sondagem da Marktest, no último mês, o PSD e o CDS aumentaram as intenções de voto, enquanto os partidos da esquerda caíram: PS, PCP e BE.

O programa do PSD foi bem recebido pelos portugueses e, depois de Pedro Passos Coelho ter apresentado as suas ideias para o País, as intenções de voto no partido subiram 4,4 pontos percentuais para os 39,7%. Com o Partido Socialista que, em Abril, tinha recuperado a liderança na sondagem da Marktest para o Diário Económico e TSF, aconteceu precisamente o contrário: caiu 2,7 pontos percentuais para os 33,4% e passou a segunda força política. A diferença entre os dois principais partidos passou, por isso, a ser de 6,3 pontos percentuais, praticamente o dobro da margem de erro (3,45%).

O trabalho de campo desta sondagem foi realizado entre os dias 9 e 10 de Maio (segunda e terça-feira desta semana) logo depois do PSD ter tornado público o seu programa e já incorporando o frente-a-frente televisivo entre José Sócrates e Paulo Portas, na TVI, que teve perto de dois milhões de telespectadores - 55% dos inquéritos foram realizados depois dos líderes de PS e CDS se terem encontrado na televisão. É, também, a primeira vez que a Marktest mede o impacto das medidas impostas pela ‘troika' e anunciadas na semana passada para que Portugal possa beneficiar de um empréstimo de 78 mil milhões de euros ao longo dos próximos três anos.

A par com o PSD, o partido de Paulo Portas também sobe ao longo do último mês passando de 7,5% para 9%. Aliás, tal como aconteceu com os social-democratas quando viabilizaram o plano de austeridade, em Maio de 2010, no último mês os dois partidos da oposição que estiveram ao lado do Governo na viabilização do memorando de entendimento com a ‘troika' acabaram por aumentar as suas intenções de voto. Na última semana Paulo Portas e Pedro Passos Coelho têm reforçado a garantia de que não governaram com Sócrates embora assumam que Portugal precisa de um Governo maioritário após as eleições de 5 de Junho. À luz desta sondagem se juntarmos as intenções de voto nos dois partidos é possível concluir que poderiam formar um Governo maioritário com 49% dos votos.

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 08:27

Maio 10 2011

A menos de um mês das eleições afirma-se a tendência para o empate técnico entre os dois principais partidos.

Em três dias, o PSD perdeu metade da vantagem que tinha para os socialistas nas intenções de voto que a anterior sondagem da Intercampus realizou para o Público e a TVI. A mais recente auscultação reafirma a liderança do PSD em relação ao PS, mas agora bem mais curta: um ponto percentual apenas.

O inquérito terminou no Domingo e havia começado quarta-feira passada, quando se realizava ainda o anterior. A maioria dos consultados expressou preferência por um Governo de coligação, embora os resultados levantem dúvidas sobre a possibilidade de uma coligação que garanta maioria absoluta só com dois partidos.

Os valores dos somatórios estão dentro da margem de erro da sondagem, pelo que aumenta a incerteza sobre se chegarão os votos conjugados de PSD e CDS ou PS e CDS para um parlamento maioritário. Garantias para isso só com um bloco central.

Se os portugueses tivessem ido às urnas no passado Domingo, Passos Coelho teria provavelmente ganho as eleições. Mas com José Sócrates colado ao seu pescoço. A sondagem aponta para uma vitória com 36,2% dos inquiridos, contra os 35,1 do PS. De 4 para 8 de Maio, o PSD perdeu tanto quanto o PS ganhou.

Em queda está também a opinião dos que acham que o próximo Executivo vai governar melhor: passou de 35,1% para 34,7%. Os que acham que a governação será igual são agora 40,9% quando há uma semana eram 42,1%. O número dos que acham que será pior subiu: passou de 8,4% para 9%.

A sondagem da Intercampus para o Público e a TVI foi realizada entre 4 e 8 de Maio, através de entrevista telefónica, junto de 1020 residentes em Portugal Continental. O erro de amostragem para um intervalo de confiança de 95% é de 3,07%.

fonte:http://economico.sapo.pt/noticias/sondagem-passos-continua-a-perder-pontos-para-socrates_117695.html

 

 

O PSD continua a perder terreno para o PS. Comparando a sondagem da Intercampus para o PÚBLICO e a TVI desta segunda-feira, com a da passada sexta-feira, os sociais-democratas descem 0,8% e os socialistas sobem 0,3%. Mantém-se o empate técnico, mas PSD e CDS, que também cresceu, continuam dentro do campo das possibilidades de conseguirem juntos uma maioria parlamentar.

 

A perda dos sociais-democratas e o crescimento dos socialistas não são muito acentuados, mas não deixam de ser significativos, uma vez que esta recolha de opinião foi feita entre dia 4, quarta-feira, e dia 8, domingo, deste mês. Ou seja, depois de José Sócrates já ter falado ao país sobre as medidas da troika para Portugal (na passada terça-feira) e, em parte, já depois dos membros da União Europeia e do FMI terem anunciado as medidas (na passada quinta-feira).

Na primeira sondagem da Intercampus para o PÚBLICO e a TVI o PSD recolhia 37% e agora soma 36,2%. Já o PS cresce de 34,8% para 35,1%. A distância entre ambos desceu de 2,2% para 1,1%.

Quem também tem uma ligeira subida é o CDS-PP: passou 10,5% para 10,9%. Os votos do PSD e CDS juntos, na passada sexta-feira, chegavam aos 47,5% e agora somam 47,1%, ficando ainda dentro do campo de possibilidades de obterem uma maioria parlamentar.

A CDU passa de 7,9% para 7,7% e o BE cai meio ponto percentual, passando de 7,0% para 6,5%. Crescem as preferências pelos outros partidos, que passam de 2,8% para 3,6%.

Os partidos de esquerda – PS, CDU e BE – juntos continuam somar mais votos do que os da direita (49,3% contra 47,1%).

Esta repartição dos votos leva em conta apenas os entrevistados que manifestaram a intenção de votar num dos partidos indicados. Quase metade (46,2%) indicou na passada semana a opção “não sabe/não responde” ou disse que não votaria em nenhum partido. Esse número desce agora ligeiramente, situando-se nos 45,3%.

A cair está também o número de portugueses que acha que o futuro Governo deve ser formado por uma coligação de partidos: passou de 56,9% para 55,9%. No mesmo sentido vai a opinião dos que acham que deve ser o partido vencedor a governar (29% para 28,8%).

Dos que optam por um governo de coligação, 23,2% preferiam uma união PSD-CDS (24,6% na primeira sondagem); 20,5% queriam PSD-CDS-PS (19,7% na sexta-feira); 21,2% optavam por uma coligação PSD-PS (20,7% na sexta-feira); 11,6% gostariam de ver unidos PS-PCP-BE (10,1% na primeira) e 6,3% queriam uma coligação PS-CDS (5,7% na sexta-feira). A união entre socialistas e centristas é a que mais sobe.

Em queda leve está a opinião dos que acham que o próximo Executivo vai governar melhor: passou de 35,1% para 34,7%. Os que acham que a governação será igual são agora 40,9% quando há uma semana eram 42,1%. O número dos que acham que será pior subiu: passou de 8,4% para 9%.

fonte:http://www.publico.pt/Pol%C3%ADtica/psd-perde-terreno-para-o-ps-e-mantemse-o-empate-tecnico_1493425

publicado por adm às 13:50

Maio 06 2011

O PS e o PSD continuam tecnicamente empatados nas intenções de voto nas próximas eleições legislativas. Os socialistas, com 36 por cento das intenções de voto, têm agora uma vantagem de 2 por cento sobre os social-democratas, revela uma sondagem da Universidade Católica para a RTP, a Antena 1, o "Diário de Notícias" e o "Jornal de Notícias".

Realizada nos dias 30 de Abril e 1 de Maio de 2011, a sondagem obteve 1370 inquéritos válidos, que dão ao PS 36 por cento das intenções de voto, contra 34 por cento ao PSD. O CDS-PP é o terceiro partido, com 10 por cento das intenções de voto, enquanto a CDU apresenta 9 por cento e o Bloco de Esquerda 5 por cento. A margem de erro associado à amostra é de 2,6 por cento.

Segundo os dados de outra sondagem realizada pela Universidade Católica em Abril, o PSD venceria então com 39 por cento dos votos e o PS teria 33 por cento. Os resultados obtidos este mês pelo Partido Socialista mostram que o PSD se encontra em queda acentuada, tendo perdido cerca de 5 por cento das intenções de voto.

Tal como aconteceu no barómetro de Abril, o número de indecisos continua muito elevado e é agora de 30 por cento do total da amostra, contra 32 por cento no mês passado. O número de votos brancos e nulos também desceu 2 por cento.

O CDS-PP sobe nas intenções de voto, passando de 7 para 10 por cento, mas mesmo assim uma eventual coligação com o PSD fica mais longe da maioria absoluta do que estava em Abril.

A grande maioria dos inquiridos (58 por cento) continua a preferir um governo de coligação e apenas 26 por cento um governo minoritário.

Ficha técnica

Esta sondagem foi realizada pelo Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Universidade Católica Portuguesa (CESOP) para a Antena 1, a RTP, o Jornal de Notícias e o Diário de Notícias nos dias 30 de Abril e 1 de Maio de 2011. O universo alvo é composto pelos indivíduos com 18 ou mais anos recenseados eleitoralmente e residentes em Portugal Continental. Foram obtidos 1370 inquéritos válidos, sendo que 58% dos inquiridos eram do sexo feminino, 33% da região Norte, 20% do Centro, 34% de Lisboa e Vale do Tejo, 6% do Alentejo e 6% do Algarve. A taxa de resposta foi de 52,4%. A margem de erro máximo associado a uma amostra aleatória de 1370 inquiridos é de 2,6%, com um nível de confiança de 9

fonte:http://www.rtp.pt/noticias/index.php?t=PS-e-PSD-continuam-tecnicamente-empatados.rtp&article=439324&layout=10&visual=3&tm=9

publicado por adm às 08:32

Tudo sobre as Eleições Legislativas 2011
pesquisar
 
links