Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Eleições Legislativas 2011

Tudo sobre as Eleições Legislativas 2011

Tudo sobre as Eleições Legislativas 2011

Eleições Legislativas 2011

03
Jun11

Jerónimo de Sousa: “Muitos portugueses vão ser enganados”

adm

Contra o engano. Foi este o discurso de Jerónimo esta sexta-feira em Moscavide. Acusou PS, PSD e CDS de fazerem publicidade enganosa aos seus programas ao omitirem o que haviam subscrito com a troika internacional. Mas desta vez, o secretário-geral também se enganou.

 

“À Carina, com um grande abraço do Jerónimo de Sousa.” A avó mostrava o pequeno bloco de post-its com enlevo. Mas a criança ao seu lado – que pedira o autógrafo - não disfarçava o desapontamento. “É pena, que ela chama-se Rita”, justificava a senhora. O secretário-geral do PCP não conseguira perceber o nome devido aos dois megafones que lhe soavam ao lado e as cerca de duas centenas de pessoas que gritavam “O FMI não manda aqui!”

Foi assim o início do último dia da campanha comunista, em Moscavide. Concorrido e bem coloquial. Os habitantes da localidade aproveitaram a presença da campanha da CDU para verbalizar a indignação contra o Governo e o PS.

Mais de uma vez Jerónimo de Sousa escutou o apoio de quem lhe desejava “força”. A interjeição que vinha a seguir, geralmente, é que era mais pitorescamente vernacular. Uma comerciante foi apertar a mão ao candidato e pedir-lhe para “endireitar este país”. Depois, o comentário sobre a situação económica e o impacto que estava a ter na sua vida também implicou termos coloridos.

Por isso o comunista assinalou a “revolta” no discurso que fez na Avenida, onde o trânsito esteve cortado e a circulação desviada para as ruas laterais. A polícia ainda teve uma “troca de informações” com a organização à conta de uma “falha de comunicação”. Mas tudo se resolveu sem problemas para o discurso.

“Muitos portugueses vão ser enganados por estes partidos”, denunciou Jerónimo de Sousa. “Os mesmos do costume querem fazer o Governo do costume”, desta vez sem dizer como o fariam. “Se dissessem seriam mais os portugueses que, dizendo não, votariam CDU!”, rematou.


http://www.publico.pt/

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D