Eleições Legislativas 2011

Junho 08 2011

O PSD e o CDS-PP anunciaram hoje que vão criar "duas equipas de trabalho" para preparar "uma proposta de acordo político" e "uma proposta de acordo programático que servirá de base ao futuro Programa de Governo".

 

As duas delegações acordaram ainda a realização de um encontro final para avaliar o trabalho produzido pelas duas equipas e concluir as conversações", refere uma nota conjunta do PSD e do CDS-PP, que não indica nenhuma data para esse encontro final.

Esta nota conjunta foi distribuída aos jornalistas depois de terminada uma reunião de quase duas horas entre as delegações do PSD e do CDS-PP na sede nacional dos sociais-democratas, em Lisboa.

fonte:lusa

 

publicado por adm às 13:42

Junho 05 2011

Tal como esperado, Paulo Portas manifestou esta noite a «disponibilidade do CDS para construir maioria para os próprios quatro anos».

Realçando que o «país não deu maioria absoluta a um só partido» - «essa hipótese sempre me pareceu exagerada», disse Portas -, o líder centrista afirmou ainda que «a relação entre CDS e PSD em termos de deputados está mais balanceada [do que em eleições passadas] e isso deve ser reflectido».

Paulo Portas falou ainda da relação com o PS, frisando que «PSD e CDS não têm qualquer interesse em crispar a relação com o novo PS». 

«Portugal está em circunstâncias muito difíceis», nomeadamente a revisão constitucional e leis programáticas e «tudo isto precisa de uma maioria de 2/3» frisou Portas. 

fonte:http://sol.sapo.pt/i

publicado por adm às 23:31
Tags:

Junho 05 2011

«Ora bem!». Na sede do CDS-PP, aplausos receberam o anúncio de José Sócrates de que abandona a liderança do PS. Minutos antes, as imagens do líder socialista a chegar ao Hotel Altis haviam sido vistas sob apupos.

Até às 21h30, os militantes centristas presentes na sede do Largo Adelino Amaro da Costa despenderam mais energia a apupar rivais e aplaudir as suas declarações de derrota do que a festejar os resultados do próprio partido, que, visivelmente, ficaram abaixo das suas esperanças íntimas ou declaradas.

Ao fazer a primeira avaliação das projecções eleitorais, cerca das 20h20, Pedro Mota Soares - o único dirigente que desceu dos andares superiores onde está reunido o estado-maior do partido - havia baixado a fasquia das expectativas, mencionando apenas um previsível aumento de votos e deputados. Durante a campanha, Paulo Portas havia insistentemente anunciado como única meta contabilizável o CDS-PP «ter mais votos» (corrigido para «mais deputados» nos últimos dias) do que «a CDU e o Bloco de Esquerda juntos».

fonte:http://sol.sapo.pt/

publicado por adm às 22:31
Tags:

Junho 05 2011

O líder parlamentar do CDS-PP, Pedro Mota Soares, afirmou este domingo que os resultados das projecções indicam que as eleições conduziram a uma "maioria de mudança", faltando saber "qual é a força relativa de cada um dos partidos nessa maioria".

"Há hoje uma maioria de mudança em Portugal, falta saber qual é a força relativa de cada um dos partidos nessa maioria", afirmou Mota Soares, numa declaração na sede do CDS, no Largo do Caldas, em Lisboa.

O líder parlamentar democrata-cristão afirmou que há que esperar para saber se o CDS alcançou "todos os seus objetivos", desde logo "crescer" e "eleger mais deputados".

Os "resultados em certas zonas do interior do país ficaram aquém" das expectativas democratas-cristãs, mas "nas freguesias urbanas ficaram acima, nalguns casos bastante acima", adiantou Mota Soares relativamente às informações de que dispõe.

O líder da bancada do CDS começou por afirmar que, "se as projecções estiverem certas, significa que terminou o ciclo de José Sócrates", permitindo "que se vire um página democraticamente em Portugal".

"É justo que isso tenha acontecido", declarou, referindo que essa derrota "nunca esteve em risco".

Na sede do CDS, a divulgação das projecções pelos canais de televisão não provocou nenhuma manifestação por parte dos militantes presentes, que bateram palmas pela primeira vez quando a dirigente do BE Mariana Aiveca reconheceu uma "derrota da esquerda e do Bloco de Esquerda".

Os militantes bateram depois palmas ao líder parlamentar, Mota Soares.

fonte:http://www.jn.pt/

publicado por adm às 20:54
Tags:

Junho 05 2011

Centristas crescem nas cidades, mas primeiros dados indiciam que o CDS foi penalizado pelovoto útil em zonas do Interior. Objetivo de ter mais votos do que PCP BE juntos já lá vai.

 

As projeções e os primeiros resultados estão a ser recebidos com algum tom de deceção na sede do CDS. Pedro Mota Soares, primeiro a reagir às previsões feitas à boca da urna, salientou que "terminou o ciclo de José Sócrates" e que "há hoje uma maioria de mudança em Portugal. Falta saber qual força a força relativa de cada partido nessa mesma maioria".

Essa é a grande preocupação dos centristas neste momento. Tudo indica que o apelo do PSD ao voto útil deu resultado, fazendo encolher o CDS, sobretudo nas zonas rurais. "Os resultados em certas zonas interior país ficam aquém nossa expectativa", assumiu Mota Soares, frisando, no entanto, que "nas freguesias urbanas ficam acima - nalguns casos, bastante acima - daquilo que esperávamos".

Mota Soares já baixou as expectativas para os resultados, apontando dois objetivos para o CDS: crescer e eleger mais deputados do que em 2009. Já ficou pelo caminho o objetivo de ter mais votos e mais deputados do que o PCP e o BE juntos.

fonte:http://aeiou.expresso.pt/

publicado por adm às 20:41
Tags:

Junho 05 2011

Pedro Mota Soares, na sede do CDS-PP, reagiu às primeiras sondagens que dão a vitória ao PSD dizendo que «era evidente que José Sócrates iria perder».

Quanto aos resultados dos democratas-cristãos, Mota Soares disse que o partido aguardará «pela contagem dos votos para verificar se o CDS consegue atingir todos os seus objectivos, nomeadamente o objectivo de crescer».

Numa leitura ligeiramente mais exaustiva, o candidato pelo distrito de Lisboa reconheceu que os resultados em certas zonas do interior do país ficaram aquém das expectativas que, ressalvou, foram superadas em algumas freguesias urbanas.

 

fonte:SOL

publicado por adm às 20:25
Tags:

Junho 05 2011

Militantes reunidos na sede do CDS reagiram em silêncio ao prognóstico de crescimento moderado do partido.

Nunca se viu uma coisa assim em noites eleitorais. Foi como se as previsões dos resultados - que apontam, todas, para um crescimento do CDS -, tivessem petrificado a sala. As dezenas de militantes do CDS que enchem a sala de conferências de imprensa, na sede do partido, viram as projeções das três televisões em absoluto silêncio. Nem um aplauso, nem uma palavra de ordem, nem uma bandeira levantada. Nada, nada, nada.

De olhos postos no plasma que transmitia as imagens dos vários canais de televisão, as projeções que apontam a possibilidade de chegar aos 13%, aos 26 ou 28 deputados, foram recebidas sem um pestanejar. Como se estivessem dormentes.

Uma militante atende o telemóvel: "Sim, já deram as projeções. Entre 22 e 28 deputados. Ganhou o PSD, como é óbvio..."

fonte;http://aeiou.expresso.pt/

publicado por adm às 20:18
Tags:

Junho 03 2011

O líder do CDS disse esta quinta-feira à noite sentir-se preparado como candidato a primeiro-ministro.

 

“Sinto-me preparado para dirigir um Governo mas não ponho essa condição nem faço essa exigência, deixo os portugueses decidirem até onde querem levar o CDS”, disse Paulo Portas, num jantar em Lisboa, com mais de 1600 pessoas.

Nesta sexta-feira, os militantes vão receber um SMS para reenviar aos seus contactos que reflecte a ideia de que o “PS já perdeu”: “Podes votar no melhor partido e não num mal menor. Dá força ao CDS”.

A um dia do encerramento da campanha, Paulo Portas falou aos indecisos entre o CDS e o PSD. “O CDS oferece a moderação e o compromisso social”, frisou Portas.

Já o PSD “pede a maioria absoluta que não é merecida”. Mas Paulo Portas não quis contra-atacar mais Passos Coelho que hoje o tinha criticado pela sua hesitação em integrar um Governo de coligação de centro-direita.

Esse papel foi deixado para o presidente do Conselho Nacional, Pires de Lima. “É enternecedor ver todas estas figuronas do PSD a pedir o voto no espaço não socialista”, disse o dirigente, referindo-se a Alexandre Relvas, Marques Mendes, Fernando Nogueira e Manuela Ferreira Leite.

fonte:http://www.publico.pt

publicado por adm às 13:59

Junho 02 2011

Paulo Portas fez-se difícil numa entrevista ao "DN". Passos Coelho respondeu-lhe no Porto: "Vale a pena perder a oportunidade de ter um Governo forte, coeso e coerente?". 

"Há aí quem diga que não sabe se vai para o Governo. Mas vale a pena perder a oportunidade de termos um Governo forte, coerente e coeso?". Passos Coelho respondeu hoje, num almoço de campanha em Paços de Ferreira, ao líder do CDS. Paulo Portas disse ao "Diário de Notícias" que ainda não sabe se quer integrar um futuro Executivo. 

 

Na reta final da campanha, Paulo Portas sobe a parada para a negociação que os dois partidos deverão começar após a vitória que o PSD dá como certa no domingo. 

À espera de um resultado histórico para o CDS, Portas sobe a parada e mostra que não está disposto a fecilitar o negócio. Passos Coelho questiona se "se deve perder a oportunidade de fazer um Governo que valha a pena".

Hoje à tarde, na arruada na Baixa do Porto, PSD e PS vão estar lado a lado. Rui Rio volta a aparecer ao lado de Passos Coelho e discursa no comício.

fonte:http://aeiou.expresso.pt/

publicado por adm às 21:48

Junho 02 2011

O líder do CDS-PP, Paulo Portas, dirigiu-se esta quarta-feira à noite às pessoas que estavam “inquietas” com o “empate técnico” entre PS e PSD, dizendo-lhes que “não há stress, podem votar CDS”, porque Sócrates e os socialistas “já perderam as eleições”.

 

O voto “é inteiramente livre, deve ser dado a quem o merece, deve premiar o trabalho, a coerência, a equipa, a iniciativa, o esforço, a moderação e a competência. Não há stress, podem votar CDS”, afirmou Paulo Portas, durante um jantar em Albufeira.

“A meu ver, aliás, podem e devem porque nós estamos muito perto de um resultado que pode ser excelente e está nas nossas mãos pedir humildemente às pessoas que o confirmem”, acrescentou.

Portas lembrou as pessoas “que vão votar CDS” e que há uma semana “estavam um pouco inquietas com a história do empate técnico”.

“Nós nunca enganamos essas pessoas, sempre dissemos que não havia empate técnico nenhum, que José Sócrates ia perder, que estava vários pontos abaixo. Até vos digo que está cinco ou seis pontos abaixo, que já perderam os socialistas e que, portanto, minhas amigas e meus amigos, as pessoas que estivessem com essa dúvida, já não a têm”, afirmou.

Para o presidente democrata-cristão, “já não há nenhuma dúvida, José Sócrates vai sair no dia 5 de Junho, os socialistas perderão as eleições no próximo domingo”, resta apenas a “boa dúvida” de saber “até onde querem os portugueses levar o CDS”.

“O CDS está a crescer, por muito que alguns dos nossos adversários gostassem que não crescesse. E quando me refiro aos nossos adversários refiro-me, evidentemente, ao Partido Socialista, que se vai fartar de perder deputados, porque o CDS vai conseguir conquistá-los um a um”, afirmou.

fonte:http://www.publico.pt/P

publicado por adm às 13:38

Tudo sobre as Eleições Legislativas 2011
pesquisar
 
Pesquisa personalizada
links
subscrever feeds
Web Stats