Eleições Legislativas 2011

Junho 01 2011

Numa arruada em Braga, o líder do Bloco criticou Ferro Rodrigues e até chegou a ser indigitado para um futuro Governo.

 

O coordenador do Bloco de Esquerda, Francisco Louçã, criticou nesta tarde em Braga, durante uma arruada, o cabeça de lista do PS em Lisboa, Eduardo Ferro Rodrigues, que "sugeriu um intervalo nas políticas do Estado social".

 

"Não temos de fazer parêntesis ou intervalos no Estado social", disse Louçã. A propósito do Dia da Criança, que hoje se celebra, o líder do Bloco apresentou uma proposta, para demonstrar que "Portugal pode resolver os seus problemas".

Louçã deu um exemplo de como o Estado pode obter receitas. Bastava que se tributassem as apostas 'on line' (700 milhões de euros/ano) para arrecadar um valor que seria o dobro do abono de família que era pagão a 640 mil crianças, e que foi cortado.

Pastas para Louçã

 

Numa arruada morna, que assinala a chegada do Bloco ao Minho no período oficial de campanha, o melhor momento para Louçã ocorreu já perto do final do cortejo, na Praça Central de Braga.

"Tenho pena de não o ver a si como um bom ministro deste país. Não direi primeiro-ministro, mas um bom ministro", disse-lhe um popular. "O povo é que escolhe o Governo", sorriu Louçã.

Já sem o candidato, Lázaro Ferreira, advogado - "militante do PS que não nega a sua raiz" -, explicou melhor aos jornalistas como seria o seu Executivo. "Um Governo de esquerda", esclareceu imediatamente. "Do PS, do Bloco e se calhar também da CDU".

E qual seria a pasta de Louçã?, foi-lhe perguntado.

"Ministro das Finanças, da Economia ou da Segurança Social", respondeu.

O dia do Bloco, que começou em Coimbra (onde Louçã assistiu a uma representação teatral contra a troika) e prosseguiu no Porto (com um almoço com figuras independentes da área da Cultura), termina com um comício em Braga.

fonte_:http://aeiou.expresso.pt/

publicado por adm às 22:43

Tudo sobre as Eleições Legislativas 2011
pesquisar
 
Pesquisa personalizada
links
Web Stats