Eleições Legislativas 2011

Junho 01 2011

Sócrates estava já a discursar, no largo de Caneças, quando um homem começou a gritar “mentiroso, mentiroso”. Um membro do staff da campanha dirigiu-se de imediato ao manifestante e disse-lhe que seria melhor sair dali “para evitar problemas”.

 

O líder do PS estava a falar sobre “o sorriso na boca dos socialistas” e sobre a “luta com alegria e tranquilidade” desta campanha quando um homem, em cima de um banco, começou a gritar “mentiroso, mentiroso”. Sócrates deverá ter ouvido, mas não fez qualquer pausa na sua intervenção.

Mal se deu conta do protesto, um membro da comitiva socialista abordou-o e encaminhou-o para fora do largo. O indivíduo, um cidadão italiano fluente em português, saiu pacificamente. Ao PÚBLICO explicou que mora em Caneças e desconhecia a realização do comício do PS. “Achei que podia vir protestar, mas afinal não”, disse, reproduzindo ainda as palavras do membro da comitiva. “É melhor retirar-se para evitar problemas.”

Poucos minutos depois, num outro local, uma mulher, acompanhada pelo filho, gritou: “E os 150 mil postos de trabalho?”. Um dos jovens da caravana socialista deslocou-se logo para o lugar onde ela estava, utilizando uma grande bandeira como uma cortina para a ocultar. Ao PÚBLICO, Patrícia Quintão, explicou que está desempregada há um ano e é mãe solteira. “Foi-me reduzida a bonificação monoparental. Recebia 43 euros e agora recebo 20 euros”; explicou.

Quando Sócrates terminou a intervenção, Patrícia não estava muito longe do carro do primeiro-ministro demissionário, pelo que o “jotinha” encarregado de abafar o protesto mostrou-se bastante diligente ao acenar vigorosamente a bandeira – assim, Patrícia não poderia sequer ver o líder do PS.

Sócrates desceu do palco, entrou no carro e seguiu para Torres Vedras.

Ferro: “Estas são as eleições mais importantes desde o 25 de Abril”

Mas antes, verificava-se que a dramatização tinha regressado à campanha do PS. O cabeça de lista por Lisboa alertou que as eleições são “as mais importantes desde o 25 de Abril” e que uma liderança de direita poderá “arrasar” as conquistas sociais que tiveram origem nos Governos de António Guterres.

No pequeno comício ao ar livre em Caneças, Eduardo Ferro Rodrigues, caça de lista pelo círculo de Lisboa, começou a sua intervenção com vários alertas: “Estas são provavelmente as eleições mais importantes desde o 25 de Abril”, disse, apontando, mais tarde, que a vitória da direita no próximo domingo pode “arrasar” as conquistas na área social criadas ainda durante os Governos de António Guterres.

No entanto, ao discurso de dramatização seguiu-se o apelo ao “diálogo”, que foi igualmente propalado ontem à noite por António Costa, num comício em Leiria.

Ferro Rodrigues enveredou pelo mesmo caminho: “Só com o PS, que tem condições para formar um Governo, é que há uma situação de diálogo, abertura e tolerância.” E aproveitou para fazer o contraste com a campanha do PSD, que, afirmou, “tem feito ataques violentos e injustos a José Sócrates”.

fonte:http://www.publico.pt/

publicado por adm às 13:46
Tags:

Tudo sobre as Eleições Legislativas 2011
pesquisar
 
Pesquisa personalizada
links
Web Stats