Eleições Legislativas 2011

Maio 29 2011

O secretário-geral do PS considerou hoje «curioso» que o presidente do CDS coloque atualmente o seu partido à esquerda do PSD, o que prova que os sociais-democratas representam agora a direita radical.

 

José Sócrates pegou nas afirmações proferidas por Paulo Portas na intervenção final no comício do PS no Porto, quando apontava o que está em jogo nas eleições de 05 de junho.

«Isto é tão curioso que hoje tivemos de ouvir pela boca do líder do CDS que o CDS de hoje se considera mais à esquerda do que o PSD», disse Sócrates, adiantando que esta campanha «está cheia de surpresas».

“Mas, pensando bem, não é para admirar [a conclusão de Paulo Portas], porque eu já disse que o PSD apresentou nestas eleições o programa mais radical de que há memória. É um programa radical e de aventureirismo ideológico, que eles aprenderam nos manuais há 25 anos, não bebe na experiência e quer pôr em causa o modelo social europeu”, sustentou o secretário-geral do PS. 

 

No comício do Porto, o secretário-geral do PS voltou a acusar o presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, de “mudar de opinião ao sabor das circunstâncias”, acusando-o de ter quebrado a promessa de fazer um Governo só com dez ministros e de ter mudado de convicções na questão da interrupção voluntária da gravidez.

“Não sei se se recordam, mas ele [Pedro Passos Coelho] disse há uns tempos atrás que tem o Governo na cabeça. Então, se tem o Governo na cabeça, o problema não é com o Governo, mas com a cabeça que anda sempre a andar à roda, porque já não sabemos o que vamos ter”, declarou.

“Eu não acredito que se possa mudar de opinião em poucos dias numa campanha eleitoral, mas já é inconcebível que um líder mude apenas para agradar a certos eleitorados”, afirmou.

Diário Digital / Lusa 

publicado por adm às 20:34

Tudo sobre as Eleições Legislativas 2011
pesquisar
 
Pesquisa personalizada
links
Web Stats