Eleições Legislativas 2011

Maio 29 2011

Há eleitores indecisos em relação a 5 de junho ou magoados com os seus partidos? Não importa o quadrante onde estejam, já há muito se encontram na mira do Bloco. Hoje, um dia preenchido que só terminará de madrugada, Francisco Louçã e outros candidatos do BE desdobraram-se em apelos ao voto, com um piscar de olhos muito nítido a votantes do PS.

 

"Algum socialista podia pensar que o PS fosse criar um fundo em que o trabalhador ía pagar o seu despedimento?", perguntou Louçã, no comício da tarde em Santarém, que encheu dois terços do Teatro Sá da Bandeira.

Minutos antes, no mesmo palco, José Manuel Pureza, atual líder parlamentar, dirigira-se aos "socialistas revoltados e indignados", pelo facto de haver o PS "mais à direita da sua história" e por "os valores socialistas terem sido renegados pela direção de José Sócrates.

Conexão coimbrã


Não é obra do acaso que a primeira interpelação direta e explícita a votantes do PS tenha sido feita por Pureza. O cabeça de lista do BE por Coimbra, que tem o lugar em risco, "vai ser eleito, apoiado por tanta gente até do Partido Socialista", dissera Louçã de manhã, nas Caldas da Rainha.

O apelo a socialistas - não sendo uma novidade absoluta, assumiu agora muito maior destaque - foi feito um dia após Louçã ter pedido, na noite de sexta-feira, em Leiria, o "voto útil" dos eleitores à esquerda do PS. 

O repto, na formulação inicial, abrangia os distritos onde o PCP não elege ninguém - Leiria, Coimbra e Aveiro, além de Faro. Todavia, na repetição da ideia, e sobretudo na forma como ela é replicada, a geografia fica ausente, parecendo mais um apelo geral.

Em várias ocasiões, já o Bloco apelou aos eleitores do PS e PSD, assim como aos abstencionistas.

Apostas múltiplas


Se o "voto útil à esquerda" foi repetido hoje por Louçã, outro tipo de voto surgiu pela primeira vez no seu argumentário. No almoço, no Entroncamento, o coordenador do Bloco falou do "voto perigoso" que é representado pelos "partidos datroika" (PS, PSD e CDS).

À medida que a campanha parece curta para o BE inverter as sondagens, a estratégia de Louçã parece assim apostada em ocupar todas as quadrículas do mapa dos indecisos e desiludidos.

A campanha deste sábado termina já no domingo, com uma arruada no Porto, a começar à meia-noite. Se a madrugada termina com divertimento, o domingo amanhece com cultura, com uma visita à Fundação de Serralves, às 11h00. Segue-se um almoço na Alfândega do Porto. Um encontro com a população, no Furadouro, fecha a jornada.

fonte:http://aeiou.expresso.pt/


publicado por adm às 10:53

Tudo sobre as Eleições Legislativas 2011
pesquisar
 
Pesquisa personalizada
links
Web Stats