Eleições Legislativas 2011

Março 27 2011

Se as eleições legislativas ocorressem hoje, o PSD seria o partido vencedor com 42,2 por cento dos votos, mais 9,4 pontos percentuais que o PS alcançaria (32,8), indica uma sondagem Intercampus para a TVI, a primeira avançada desde a demissão do Governo. Mas o partido de Passos Coelho não conseguiria uma maioria absoluta e para isso teria de se unir ao CDS-PP. Juntos chegariam aos 50,9 por cento dos sufrágios.

 

Ainda de acordo com a sondagem, o CDS surge em terceiro na preferência dos portugueses, com 8,7 por cento dos inquiridos a afirmar que escolheriam Paulo Portas para primeiro-ministro. Em quarto lugar surge o Bloco de Esquerda, com 7,9 por cento dos votos, e depois a CDU com 7,1 por cento.

Estas percentagens revelam uma subida de 0,6 pontos percentuais para o PSD, comparando com os números da última sondagem da TVI de Dezembro do ano passado, seguindo o mesmo método, onde os sociais-democratas conseguiam 41,6 por cento. O PS também registou agora uma subida, a maior desta sondagem, passando de 30,1 por cento para 32,2, ou seja, um crescimento de 2,1 pontos percentuais. Também o CDS-PP e a CDU subiram, cerca de um ponto. Apenas o Bloco de Esquerda perdeu nas intenções de votos em relação à consulta de Dezembro: passou de 10,7 por cento para 7,9 (menos 2,8 pontos).

Tal como há três meses, o PSD não conseguiria agora uma maioria absoluta. O partido precisaria de se unir ao CDS-PP para consegui-lo e formar Governo, uma hipótese que o próprio Passos Coelho já admitiu, ao falar num Governo “abrangente”.

Ainda de acordo com a sondagem Intercampus, 61 por cento dos inquiridos defendeu que o próximo Governo deve ser formado por uma coligação de partidos, contra 25,6 por cento, que o recusa. A coligação preferida é PSD/CDS-PP, com 24,2 por cento, seguindo-se a PSD-PS (22,8), a PSD-CDS-PS (17,7) e por último a PS-CDS (4,5).

A Sondagem Intercampus para a TVI foi realizada entre 24 de Março, um dia depois de o primeiro-ministro ter apresentado a sua demissão do Governo, e 26 de Março. A sondagem foi realizada entre elementos da população com mais de 18 anos, residente em Portugal continental, através de 805 entrevistas estratificadas por regiões. Para um intervalo de confiança de 95 por cento a margem de erro é de 3,45 por cento. Houve 22,9 por cento dos inquiridos a responder não sabe/não responde.

fonte:http://www.publico.pt/P

publicado por adm às 21:55

Tudo sobre as Eleições Legislativas 2011
pesquisar
 
Pesquisa personalizada
links
Web Stats