Eleições Legislativas 2011

Maio 10 2011

A menos de um mês das eleições afirma-se a tendência para o empate técnico entre os dois principais partidos.

Em três dias, o PSD perdeu metade da vantagem que tinha para os socialistas nas intenções de voto que a anterior sondagem da Intercampus realizou para o Público e a TVI. A mais recente auscultação reafirma a liderança do PSD em relação ao PS, mas agora bem mais curta: um ponto percentual apenas.

O inquérito terminou no Domingo e havia começado quarta-feira passada, quando se realizava ainda o anterior. A maioria dos consultados expressou preferência por um Governo de coligação, embora os resultados levantem dúvidas sobre a possibilidade de uma coligação que garanta maioria absoluta só com dois partidos.

Os valores dos somatórios estão dentro da margem de erro da sondagem, pelo que aumenta a incerteza sobre se chegarão os votos conjugados de PSD e CDS ou PS e CDS para um parlamento maioritário. Garantias para isso só com um bloco central.

Se os portugueses tivessem ido às urnas no passado Domingo, Passos Coelho teria provavelmente ganho as eleições. Mas com José Sócrates colado ao seu pescoço. A sondagem aponta para uma vitória com 36,2% dos inquiridos, contra os 35,1 do PS. De 4 para 8 de Maio, o PSD perdeu tanto quanto o PS ganhou.

Em queda está também a opinião dos que acham que o próximo Executivo vai governar melhor: passou de 35,1% para 34,7%. Os que acham que a governação será igual são agora 40,9% quando há uma semana eram 42,1%. O número dos que acham que será pior subiu: passou de 8,4% para 9%.

A sondagem da Intercampus para o Público e a TVI foi realizada entre 4 e 8 de Maio, através de entrevista telefónica, junto de 1020 residentes em Portugal Continental. O erro de amostragem para um intervalo de confiança de 95% é de 3,07%.

fonte:http://economico.sapo.pt/noticias/sondagem-passos-continua-a-perder-pontos-para-socrates_117695.html

 

 

O PSD continua a perder terreno para o PS. Comparando a sondagem da Intercampus para o PÚBLICO e a TVI desta segunda-feira, com a da passada sexta-feira, os sociais-democratas descem 0,8% e os socialistas sobem 0,3%. Mantém-se o empate técnico, mas PSD e CDS, que também cresceu, continuam dentro do campo das possibilidades de conseguirem juntos uma maioria parlamentar.

 

A perda dos sociais-democratas e o crescimento dos socialistas não são muito acentuados, mas não deixam de ser significativos, uma vez que esta recolha de opinião foi feita entre dia 4, quarta-feira, e dia 8, domingo, deste mês. Ou seja, depois de José Sócrates já ter falado ao país sobre as medidas da troika para Portugal (na passada terça-feira) e, em parte, já depois dos membros da União Europeia e do FMI terem anunciado as medidas (na passada quinta-feira).

Na primeira sondagem da Intercampus para o PÚBLICO e a TVI o PSD recolhia 37% e agora soma 36,2%. Já o PS cresce de 34,8% para 35,1%. A distância entre ambos desceu de 2,2% para 1,1%.

Quem também tem uma ligeira subida é o CDS-PP: passou 10,5% para 10,9%. Os votos do PSD e CDS juntos, na passada sexta-feira, chegavam aos 47,5% e agora somam 47,1%, ficando ainda dentro do campo de possibilidades de obterem uma maioria parlamentar.

A CDU passa de 7,9% para 7,7% e o BE cai meio ponto percentual, passando de 7,0% para 6,5%. Crescem as preferências pelos outros partidos, que passam de 2,8% para 3,6%.

Os partidos de esquerda – PS, CDU e BE – juntos continuam somar mais votos do que os da direita (49,3% contra 47,1%).

Esta repartição dos votos leva em conta apenas os entrevistados que manifestaram a intenção de votar num dos partidos indicados. Quase metade (46,2%) indicou na passada semana a opção “não sabe/não responde” ou disse que não votaria em nenhum partido. Esse número desce agora ligeiramente, situando-se nos 45,3%.

A cair está também o número de portugueses que acha que o futuro Governo deve ser formado por uma coligação de partidos: passou de 56,9% para 55,9%. No mesmo sentido vai a opinião dos que acham que deve ser o partido vencedor a governar (29% para 28,8%).

Dos que optam por um governo de coligação, 23,2% preferiam uma união PSD-CDS (24,6% na primeira sondagem); 20,5% queriam PSD-CDS-PS (19,7% na sexta-feira); 21,2% optavam por uma coligação PSD-PS (20,7% na sexta-feira); 11,6% gostariam de ver unidos PS-PCP-BE (10,1% na primeira) e 6,3% queriam uma coligação PS-CDS (5,7% na sexta-feira). A união entre socialistas e centristas é a que mais sobe.

Em queda leve está a opinião dos que acham que o próximo Executivo vai governar melhor: passou de 35,1% para 34,7%. Os que acham que a governação será igual são agora 40,9% quando há uma semana eram 42,1%. O número dos que acham que será pior subiu: passou de 8,4% para 9%.

fonte:http://www.publico.pt/Pol%C3%ADtica/psd-perde-terreno-para-o-ps-e-mantemse-o-empate-tecnico_1493425

publicado por adm às 13:50

Tudo sobre as Eleições Legislativas 2011
pesquisar
 
Pesquisa personalizada
links
Web Stats