Eleições Legislativas 2011

Maio 08 2011

O líder do CDS-PP reforçou, este domingo, o desafio feito pelo líder regional do CDS-PP a Pedro Passos Coelho, para também obrigar o governo regional madeirense de Alberto João Jardim a aplicar a redução de empresas públicas e assessores, proposta no programa eleitoral do PSD, na Madeira. 

«Aqui até os motoristas do governo têm assessores», ironizou José Manuel Rodrigues num almoço com Paulo Portas no Funchal.

Também o líder nacional dos centristas defendeu a extinção dos institutos e empresas públicas «que só servem para alimentar clientelas», o que «também é verdade nesta região autónoma e no poder local».

Portas dirigiu, também, críticas ao PS por ser «responsável pela situação a que o país chegou». Ao PSD imputou que «não está preparado» para salvar Portugal «numa situação de emergência».

Assim, o presidente dos democratas-cristãos defendeu a redução do endividamento, o aumento da produção e da exportação e a aposta na agricultura, pescas e turismo.

De acordo com Paulo Portas, a dívida pública portuguesa tornou-se no «ministério mais caro e perigoso do que todo o governo», sublinhando que esta passou de 82 mil milhões para 170 mil milhões, pelo que cada português deve 17 mil euros. No caso dos madeirenses, acrescentou, o valor é de 24 mil euros devido ao endividamento da região.

O líder do CDS reiterou, ainda, que não é «muleta nem subalterno» do PS e do PSD e que «se houver justiça, o voto será em quem mais trabalha».

fonte:http://www.abola.pt/

publicado por adm às 23:05

Tudo sobre as Eleições Legislativas 2011
pesquisar
 
Pesquisa personalizada
links
Web Stats